A maior conquista na nossa evolução é o conhecimento e a prática das Leis do Universo. Quando ignoramos as Leis Espirituais sofremos. Uma Lei complementa a outra e elas estão todas ligadas.

LEI MAGNA: O AMOR

Todos os ensinamentos, todas as filosofias, todas as mensagens e todas as religiões trazem na sua essência o amor incondicional. O amor é a razão de tudo. Se o nosso aprendizado é a compreensão do amor incondicional, vamos desfrutar todas as situações com todo o amor possível.
O que é o Perdão? O perdão é a maior manifestação de amor. O perdão é o princípio da cura, do corpo e da alma. Quando perdoamos, estamos livres para sentir a presença de Deus. É maravilhoso.
O perdão, quanto mais imediato, mais graças ele soma e menos traumas acumula. O perdão em sua essência, representa a dispensa da punição e a restauração da felicidade.

O AUTO PERDÃO

Julianne Everett, no livro Iniciação do Coração, traz um profundo e interessante ensinamento:
“… Todos os relacionamentos nos abençoam com a oportunidade de curar nosso carma residual. Apenas quando estamos encarnados somos capazes de nos ver cara a cara com as pessoas e as circunstâncias de que precisamos para curar as feridas do nosso passado. A Terra é a esfera apropriada para chegarmos a um acordo com as obrigações que deixamos de lado, porque é aqui que temos de perdoar a nós mesmos e aos outros por abuso de poder do passado, e é aqui que nosso coração tem a oportunidade de se expandir em compaixão e sabedoria.
Felizmente, nem sempre dependemos de achar associações específicas de vidas passadas ou companheiros espirituais para completar nosso carma. Somos conduzidos continuamente por nosso Eu Superior para encontrar com aqueles cujas vidas estejam relacionadas com a nossa e que possam, assim, ajudar-nos a descobrir o que viemos aprender ou curar…”
Quando convivemos com pensamentos negativos como raiva, revolta, ódio, traição, ressentimento, arrogância, egoísmo, inveja, ciúmes, mágoa, vingança, sofrimento, passamos a carregar sentimentos de culpa. Com qualquer um destes pensamentos, certamente nos julgaremos culpados. Nos puniremos com rigor usando forças poderosas para isto.
Toda e qualquer tentativa, consciente ou inconsciente, de autopunição, deve ser tratada e curada imediatamente antes que estes pensamentos negativos permaneçam em nossa mente, a tempo de provocarem estragos.
Durante a nossa jornada, cometemos uma série de erros em nossas escolhas. Todos os nossos enganos passam a nos atormentar. Nos culpamos por todas as atitudes erradas que causaram prejuízos a nós ao a outros. Ao cultivar as mágoas, os ressentimentos, as vinganças, e até mesmo os sentimentos de culpa, estaremos infelizes, estacionados, presos e sufocados em nossa jornada, emitindo e atraindo vibrações negativas, e o que é mais grave, bloqueamos o recebimento de bênção por não nos acharmos merecedores.
Além disso, no decorrer do tempo, vamos nos amargurando com alguns acontecimentos e nos magoando com várias pessoas. Vamos nos fechando para o mundo na tentativa de nos defender de mais sofrimentos e acabamos nos fechando tanto que dificultamos qualquer auxílio Divino.
Pensamentos negativos todos nós temos, mas o importante é saber como lidar com eles. É difícil ser feliz quando nossa mente está presa a situações passadas que nos causaram dor. Não importa se uma ação negativa foi dirigida a nós propositalmente ou não. O perdão deve ser uma atitude diária. Precisamos aprender a perdoar a tudo, a todos e principalmente a nós mesmos. Os anjos podem nos auxiliar neste delicado processo. Nossa passagem aqui na Terra é muito curta para desperdiçarmos nosso precioso tempo, nos culpando, nos punindo ou nos vingando, no lugar de perdoar.
A maioria dos enganos que praticamos, fazem parte do nosso processo de aprendizagem. Não culpe ninguém, nem a si próprio. Se soubéssemos fazer melhor, já o teríamos feito. Rejeite todas as induções de culpas no seu interior por parte de terceiros. Se fortaleça e descarte julgamentos distorcidos por parte dos outros. Evite também julgar os erros dos outros. Em todos os momentos nós, seres humanos, estamos aprendendo. Se já soubéssemos, evidente que não erraríamos. Erramos porque, só com o erro, avaliamos a alternativa certa.
Disfarçar os nossos erros, culpando os outros, é acobertar nossas errôneas escolhas. Precisamos ter consciência de nossos erros, compreendê-los e perdoá-los, pois, o ato de perdoar, nos livra do passado, permite a liberdade no presente e liberta o futuro. Todos os dias temos a oportunidade de escolher um caminho melhor. Podemos ir em frente, dando o melhor de nós em todas as situações e compensar os possíveis enganos, ou não. É uma escolha. Ninguém vai poder escolher por você.
“Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo final.” (Chico Xavier)
Escolha o perdão. Escolha a felicidade. Quando nos perdoamos, sentimos que uma enorme carga já saiu de nossas costas. Você tem idéia do tamanho das culpas que carrega no fundo da sua alma? Você tem idéia de que carrega culpas que nem se recorda? É possível que transportamos culpas ainda de outras vidas.
Carregamos culpas até por pecados praticados pela humanidade. Dissolva estas dores espirituais com a força do amor e com o auxílio dos Anjos do Perdão. Peça que os Anjos do Perdão levem o seu pedido de perdão a Deus. Esta conduta de união com o Divino, nos ilumina e nos abre as portas para tentarmos novamente o caminho da Luz. Se ontem erramos, hoje podemos acertar.
Contudo, a prática do perdão não se resume somente a isso.
Durante toda a nossa vida, mesmo com o equilíbrio perfeito, perdoados e na mais perfeita paz, estaremos sujeitos a influências externas diárias variadas. Todos os dias, em diferentes momentos, até no trânsito por exemplo, entraremos em contato com pessoas de diferentes índoles, e de caráter bem variado, e com certeza alguns sentimentos humanos a toda hora nos surpreenderão: raiva, ressentimentos, ciúmes, inveja, medo, mágoa, entre outros. Lembre-se, quando isso ocorrer, não importa o lugar onde esteja, evite que tais sentimentos negativos ocupem espaço na sua mente causando prejuízos futuros, como culpas, aquisição de novos carmas, remorsos, ações inadequadas, conflitos desnecessários. Interrompa tais sentimentos e pensamentos imediatamente. Evite um possível desequilíbrio de energias.
Quando um novo sentimento negativo fluir, repita a seguinte oração quantas vezes for necessário, até que tal sentimento o abandone: “Amado Miguel Arcanjo, te invoco aqui e agora para que retires do meu campo de energia esse sentimento negativo e equivocado, e o transforme em bênçãos para toda Humanidade. Obrigada por teu auxílio e proteção. Amém”
Ultrapassamos a primeira fase do Perdão.
Descobrimos que os sentimentos de culpa estavam por demais pesados, atrapalhando e dificultando nossa processo evolutivo. Estamos perdoados. Nossos erros do passado estão curados. Não precisamos mais duramente nos castigar. Somos capazes de nos perdoar e podemos receber o perdão de Deus.

PERDOAR AOS OUTROS

Perdoar outras pessoas, vai exigir de nós muito mais compreensão e sabedoria.
A compreensão é a atitude mais importante em toda e qualquer circunstância. A compreensão e a sabedoria nos levam a perdoar. Perdoar alguém não é se submeter ou se obrigar a permanecer dentro de uma situação inadequada. Nós escolhemos nossos caminhos. Na escolha errada, temos todos os dias a oportunidade de fazer novas escolhas, de escolher novos caminhos, sem culpas, sem mágoas, sem ressentimentos, totalmente livres.
Vamos agora analisar várias situações, e refletir nos melhores parâmetros, para podermos compreender e aceitar todas as pessoas com quem nos relacionamos. Lembre-se, não podemos e nem temos o direito de mudar outras pessoas, mas somos capazes de melhorar nossas próprias atitudes a cada momento.
Eis uma história para refletir. Sufi Bayazid diz o seguinte de si mesmo: “Na juventude, eu era um revolucionário e rezava dessa forma: – Deus, dai-me energia para mudar o mundo! Ao chegar à meia idade, percebi que metade da vida já havia passado sem que eu tivesse mudado homem algum. Então mudei a minha prece, dizendo ao Criador: – Dai-me a graça, Senhor, de transformar os que vivem comigo, dia-a-dia, como minha família e meus amigos; com isso, já estarei satisfeito! Agora que estou velho e tenho os dias contados, percebo bem quanto fui tolo assim rezando. Minha oração, agora, é apenas esta: – Dai-me a graça, Senhor, de mudar a mim mesmo! Se eu tivesse rezado assim, desde o início, não teria desperdiçado minha vida.”
Essa frase resume bem essa reflexão: “Deus, conceda-me a serenidade para aceitar as coisas que não possa mudar, a força para mudar as coisas que posso e a sabedoria para distinguir umas das outras.”
Inúmeras são as razões que levam determinadas pessoas a causarem danos às outras. Às vezes os danos causados foram praticados sem intencionalidade, de uma forma inconsciente, até mesmo indesejada. Portanto, a compreensão por nossa parte das atitudes e das limitações de certas pessoas, é de extrema relevância para a prática do perdão.
Todas as pessoas possuem qualidades e defeitos, inclusive as que mais amamos. Todos procuram agir de uma maneira correta, mas o que pode parecer correto para alguns, pode ser totalmente errado para outros. As percepções e experiências de cada parte podem ser totalmente diferentes e ninguém sabe o drama que pode se ocultar por trás de cada alma.
Perdoar os pais, amigos, irmãos, filhos, antepassados, vizinhos, parentes, chefes, colegas de trabalho, e todos os nossos companheiros de jornada, é uma escolha que só nós podemos fazer. APRENDA A PERDOAR. O momento é agora. Com certeza, a pessoa a quem você achará mais difícil perdoar é aquela da qual você mais precisa libertar-se.
Quando você guarda ressentimento contra alguém, você está ligado a essa pessoa por um elo cósmico. A mágoa traz o ressentimento que por sua vez traz a raiva ou a vingança que acarretará em culpas e assim por diante. A mágoa é a barreira número um da força espiritual.
Nossas decepções para com as pessoas devem ser entendidas e perdoadas. Uma expectativa idealizada por exemplo, pode gerar decepções. O “script” foi idealizado somente por nossa mente. Nenhuma pessoa deve projetar suas expectativas e carências em outra, pois o fruto dessa projeção é a necessidade de querer controlar e moldar o outro segundo seus próprios desejos, o que poderá desencadear a revolta dos envolvidos num futuro próximo.
Quando controladores, dificultamos o direito de evolução das pessoas mais próximas a nós. Impedimos o outro de seguir a própria vida com liberdade de escolhas. Todo o ser humano tem individualidade e precisa cumprir, etapa por etapa, o seu caminho rumo a felicidade plena. Marido, filhos, irmãos, pais, amigos, não podem ser considerados propriedades nossas. Todos são companheiros de jornada.
As pessoas que nos cercam também estão aqui na Terra para evoluir. Cada qual a seu ritmo. Algumas, quando não se comportam segundo nossas expectativas, julgamos estar agindo daquela maneira para nos magoar, quando na verdade, desconhecem a nossa expectativa em relação a determinada situação, ou ainda, simplesmente, estão expressando a própria maneira de ser.
Abrir mão dos direitos, dos sonhos ou das próprias escolhas para satisfazer a vontade dos outros, pode criar revoltas e mágoas profundas.
Situações equivocadas, mau resolvidas e com omissão de sentimentos geram sofrimento. É fundamental que qualquer ressentimento seja esclarecido no ato. Nada deve restar dentro de nós que nos leve, futuramente, a reclamar direitos sobre uma mágoa não manifestada, sobre uma dor não lamentada ou um fato não compreendido. Este ensinamento, quando seguido, se torna a base na construção de um relacionamento sólido e feliz.
É muito comum observarmos casais, no decorrer do tempo, se agredirem, se odiarem e se torturarem com mútuas cobranças. Aquele sentimento ressentido foi alimentado e fortalecido e pode exigir um trabalho muito mais profundo de perdão do que se tivesse sido esclarecido no ato, sem contar o sofrimento que gerou ao longo do tempo.
Existem vários outros conflitos que se estendem muito além dos casais. Em suma, em todos os nossos relacionamentos, seja entre casais, irmãos, pais, filhos ou amigos, a liberdade, a clareza, a compreensão, o amor e a verdade são práticas geradoras de paz, harmonia e felicidade.
O ciúmes, principalmente em excesso, é outro sentimento que provoca revolta e conflito. O ciúmes, na sua essência, é o receio, o medo da perda da pessoa querida. Cuidado! O ciúmes e o egoísmo caminham juntos. Compreenda e tranqüilize os mais inseguros. Avalie o seu ciúmes infundado. Eleve seus sentimentos. O amor é a força mais intensa, extensa e poderosa que existe, entre nessa sintonia.
As vinganças conscientes e inconscientes nos tiram a paz e só trazem prejuízos para todos.
Às vezes, nossas atitudes e escolhas, mesmo as banais do dia-a-dia, só servem para punir outras pessoas. Adotamos alguns comportamentos e não enxergamos o prejuízo que tais atitudes nos acarretam. As vezes, de forma inconsciente, até mesmo nos prejudicando, agimos com a intenção oculta de punir alguém. Esta maneira de agir nada mais é, que uma forma disfarçada de vingança. Perdoe e liberte-se.
Quando revoltados, carregados de raiva, de ódio e presos a estes sentimentos, no decorrer do tempo, acabamos contaminando todo o ambiente em que vivemos. Começamos a nos tornar cruéis com aqueles que nos cercam e passamos a dirigir esta crueldade contra nós mesmos. Penalidade máxima para o nosso corpo físico. Surgem as doenças.
Vamos permanecer na sintonia do amor e invocar o auxílio dos Anjos neste processo de perdão.
Nunca desperdice energia julgando, condenando, revidando atos praticados contra você ou contra outras pessoas. Encontre maneira mais sábia de viver. Quando somos vítimas de falsidade, maldade, intriga, violência, provocação, mentiras etc, podemos vencer a tudo e a todos com a força do Amor, ela não falha nunca.
Percebemos que em nossa jornada cruzamos com pessoas de diferentes índoles e devemos estar atentos para não permitir que pessoas más, nos transformem em más pessoas. Cada qual conforme sua natureza, e não conforme a do próximo. Quando agimos em desarmonia com a nossa natureza, nosso interior entra em conflito. Passamos a nos culpar e num futuro bem próximo, a nos punir, portanto, fique atento às suas atitudes e deixe que cada um se preocupe com a sua.
Devemos lembrar que cada ser humano carrega sua história, seus carmas, vivências, crenças, que geralmente estão diretamente ligados à sua criação. Nós desconhecemos o drama que se oculta por trás de cada alma. Os fatos atingem várias pessoas ao mesmo tempo, as percepções individualizam cada ser. Vamos respeitar cada um.
As pessoas batalham por vitórias, procuram ser amadas, vencedoras, prósperas. Mas, em circunstâncias variadas, muitas vezes cometem erros que de início nos parecem imperdoáveis. É primordial levarmos em consideração que todos se esforçam para serem amados, compreendidos, valorizados e reconhecidos.
As maiores mágoas e conflitos se sucedem quando qualquer uma das partes sentem que não são visualizadas, compreendidas e o que é pior, não são valorizadas. Cabe a nós, também, enxergar as necessidades, as limitações, as fraquezas e as dificuldades emocionais de cada um. Com certeza, enxergar, compreender, reconhecer, entender o “outro”, é amar o “outro”, contudo, enxergar e exaltar somente os defeitos, é bloquear o florescimento do mesmo.
É de extrema importância aprendermos a policiar nossos atos para que não precisemos ser PERDOADOS. Precisamos aceitar e agradecer a tudo e a todos. Quando agradecemos, até pelas dificuldades que determinadas pessoas nos causaram, compreendemos que elas nos ajudaram a evoluir do nível humano comum ao nível espiritualizado em que nos encontramos agora, e podemos libertá-las daquele papel desempenhado.
Devemos enfrentar nossas vidas, sem revoltas, e fazendo o melhor em cada momento de nossa existência.
Nos grandes sofrimentos, muitas vezes está oculto o resgate de antigos débitos ou carmas. A dor e o sofrimento podem ser frutos de erros passados que alcançam a alma devedora no tempo e no espaço, objetivando o resgate da paz e harmonia com o Universo.
O perdão dissolve e transmuta carmas de uma forma única e incontestável. Agindo assim, aprendemos, transmutamos e resgatamos a energia “desperdiçada” não adquirindo novos e pesados carmas.
Quando reconhecermos que cada um é para nós do jeito que precisamos que ele seja, iremos parar de apontar o dedo para culpar quem quer que seja. Somos um TODO e, QUANDO REJEITAMOS qualquer parte dele, todos sofrem.
Existem infinitos caminhos para seguir. Cada dia que nasce, temos a oportunidade de fazer novas escolhas, portanto, vamos escolher o amor, o perdão, a compreensão, a união, a harmonia, a paz interior!
Lembre-se, a dificuldade que temos de praticar o perdão e tudo que o envolve, será facilitada com o auxílio dos Anjos, e estará ao nosso dispor sempre que solicitarmos.
A Oração Milagrosa do Perdão, encontrada no item Orando com os Anjos, pode ajudar muito nesse processo. Faça-a quantas vezes achar necessário, até atingir a mais pura paz e harmonia. Procure fazê-la com tempo, sem interrupção, em voz alta, refletindo cada parágrafo verbalizado.
Perdoar é estar diariamente em harmonia com o Universo. É descarregar a negatividade, as mágoas, os ressentimentos e as culpas. É aceitar o momento como ele é e desfrutá-lo com sabedoria e amor.

VIVA EM PAZ. PERDOE. LIBERTE-SE.